00:00:00
06 Jun

Sócios da Minerworld são ouvidos pela justiça

Aconteceu no dia 24 de janeiro de 2019, a primeira audiência dos sócios da Minerworld. O Portal do Bitcoin fez cobertura do caso.

Envolvidos estão sendo acusados de crime com características de pirâmide financeira, e que lesaram mais de 50 mil clientes investidores.

A audiência aconteceu no Fórum de Campo Grande (MS), e na oportunidade foram ouvidos Cícero Saad e Hércules Gobbi, sócios proprietários da Minerworld. Além deles, o Ministério Público de Mato Grosso do Sul também investiga as empresas Bit Ofertas Informatica Ltda, Bitpago Soluções de Pagamento Ltda. e outros 16 réus.

Acesso as contas

Na audiência, o ministério teve acesso á 14 contas. Cinco delas foram acessadas e três possuíam saldos nos valores de US$ 763,80, 0,00002469 e 0,0007597 bitcoin. As demais não foram abertas por incompatibilidade de senhas ou problemas nos sistemas de acesso.

“Serão utilizadas cartas rogatórias endereçadas a juízes desses países solicitando o envio dos saldos ao Brasil. Como foi determinado o bloqueio de bens, inclui também as criptomoedas. Se, ao final do processo, os réus forem responsabilizados, tudo será direcionado para a cobertura do prejuízo”, disse ao Portal do Bitcoin o juiz da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos, Individuais Homogêneos, David de Oliveira Gomes Filho, que é responsável pelo caso.

Participam da audiência pessoas que foram prejudicadas com o esquema da pirâmide financeira. Há investidores que chegaram a colocar dinheiro acumulado por muitos anos. Uma família chegou a investir 800 mil reais!

Lembrando que o prejuízo causado pela empresa, supera 300 milhões de reais. Este valor foi bloqueado pela justiças. A empresa utilizava plataformas de criptomoedas como um de seus produtos e prometia lucros exorbitantes em cima da criptomoeda. No caso, eles prometiam lucro de 100% aos investidores.

O que diz a Minerworld

A Minerworld, por sua vez, alega defesa e afirma que não se trata de um esquema de pirâmide financeira, e que a atividade é de marketing multinível, portanto lícita.

Dessa forma, os sócios afirmam que os atrasos aos investidores começaram a ocorrer devido à desvalorização mundial das criptomoedas. Somado a isso, a empresa teria sofrido um suposto roubo.

As atividades das Minerworld iniciaram em 2016, e vários Estados do Brasil tiveram investidores, como Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraíba, Goiás, Sergipe, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco e Rio Grande do Sul.

A ação foi batizada de Lucro Fácil, com foco em combater a formação fraudulenta de pirâmide financeira. De acordo com a polícia, o esquema tinha como seus principais dirigentes Cícero Saad, Hércules Gobbi e Johnnes Carvalho.

You may be interested

Governo Federal divulga cadastro de beneficiários do auxílio emergencial
Brasil
1 Visualizações
Brasil
1 Visualizações

Governo Federal divulga cadastro de beneficiários do auxílio emergencial

Fabio Alencar - 06/06/2020

O Governo Federal lançou nesta sexta-feira (5) o Portal da Transparência, com os nomes de todas as pessoas que receberam o auxílio emergencial. Os dados serão atualizados…

Brasil chega aos 35 mil mortos por covid-19; total de casos vai a 645 mil
Brasil
1 Visualizações
Brasil
1 Visualizações

Brasil chega aos 35 mil mortos por covid-19; total de casos vai a 645 mil

Fabio Alencar - 05/06/2020

O panorama da pandemia da covid-19 no Brasil foi atualizado pelo Ministério da Saúde nesta sexta-feira. Segundo o balanço, o país tem 35.026 mortos pela doença relatadas,…

Fred chega ao RJ de bicicleta para assinar contrato com o Fluminense
Brasil
1 Visualizações
Brasil
1 Visualizações

Fred chega ao RJ de bicicleta para assinar contrato com o Fluminense

Fabio Alencar - 05/06/2020

Fred é oficialmente jogador do Fluminense. Anunciado no último fim de semana, o centroavante concluiu a viagem de bicicleta de Belo Horizonte ao Rio, organizada para arrecadação…

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Most from this category