00:00:00
08 Dec

Veja lista de lojas suspeitas e saiba como evitar golpes nesta Black Friday

É o fato ou acontecimento de interesse jornalístico. Pode ser uma informação nova ou recente. Também diz respeito a uma novidade de uma situação já conhecida.

Texto predominantemente opinativo. Expressa a visão do autor, mas não necessariamente a opinião do jornal. Pode ser escrito por jornalistas ou especialistas de áreas diversas.

Reportagem que traz à tona fatos ou episódios desconhecidos, com forte teor de denúncia. Exige técnicas e recursos específicos.

É a interpretação da notícia, levando em consideração informações que vão além dos fatos narrados. Faz uso de dados, traz desdobramentos e projeções de cenário, assim como contextos passados.

Texto analítico que traduz a posição oficial do veículo em relação aos fatos abordados.

É a matéria institucional, que aborda assunto de interesse da empresa que patrocina a reportagem.

Conteúdo que faz a verificação da veracidade e da autencidade de uma informação ou fato divulgado.

É a matéria que traz subsídios, dados históricos e informações relevantes para ajudar a entender um fato ou notícia.

Reportagem de fôlego, que aborda, de forma aprofundada, vários aspectos e desdobramentos de um determinado assunto. Traz dados, estatísticas, contexto histórico, além de histórias de personagens que são afetados ou têm relação direta com o tema abordado.

Abordagem sobre determinado assunto, em que o tema é apresentado em formato de perguntas e respostas. Outra forma de publicar a entrevista é por meio de tópicos, com a resposta do entrevistado reproduzida entre aspas.

Texto com análise detalhada e de caráter opinativo a respeito de produtos, serviços e produções artísticas, nas mais diversas áreas, como literatura, música, cinema e artes visuais.

Nesta semana de ofertas tentadoras, é preciso ter cautela na hora de efetuar a compra, para não cair em golpes na internet. A Black Friday, que sempre acontece na última sexta-feira de novembro, é a oportunidade que criminosos têm de aproveitar o fluxo de usuários e vender produtos inexistentes em sites fraudulentos. Para evitar que os consumidores sejam lesados pela data de promoções, o Procon-SP mantém uma lista de lojas virtuais suspeitas.

Até a publicação desta matéria, a lista conta com 307 sites que devem ser evitados, pois tiveram reclamações de consumidores registrada no Procon-SP. A relação foi divulgada pela primeira vez em julho de 2011 e a mantém atualizada desde então, com último update feito no dia 14 de outubro. O site mostra a URL da página, empresa ou pessoa responsável, o CNPJ/CPF, a data de inserção na lista e se ainda está ativo ou não.

Além de conferir se o site está ou não na lista, o consumidor deve se atentar à reputação da loja no Reclame Aqui e ficar alerta às formas de pagamento. Veja cinco dicas para se proteger e não cair na “Black Fraude”.

Para saber se o site é seguro, procure pelo ícone de cadeado acompanhado pela sigla HTTPS na barra de endereços. Preste atenção se a sigla também está presente na página de compra. Caso contrário, não insira suas informações pessoais e financeiras.

Mesmo que o site possua a sigla HTTPS, desconfie se ele não oferecer opção de pagamento via cartão de crédito. Para gastar menos com infraestrutura, os fraudantes optam pela aplicação de golpes mais simples. Assim, é comum ver produtos caros com preços extremamente baixos, com pagamento via boleto ou transferência bancária.

Segundo a lei Lei do E-commerce (7.962/13), que regulamenta o Código de Defesa do Consumidor no comércio eletrônico, todas lojas virtuais devem apresentar as seguintes informações de forma clara, no rodapé ou topo da página: CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica); Razão Social; Endereço da sede da empresa; Telefone; E-mail ou formulário para contato. Toda loja deve apresentar, ainda, uma política de trocas e devoluções, caso não encontre, não compre no site.

Ainda que a lista do Procon-PE apresente eficiência na hora de escapar das ciladas, ela não abrange a totalidade dos sites fraudulentos. Por isso, uma ferramenta útil é o Reclame Aqui e o Consumidor.gov.br. As plataformas registram as reclamações e avaliações de clientes das lojas. Para consultar, basta buscar o nome e olhar as notas.

A difusão de links maliciosos aumentam quatro vezes na Black Friday, aponta a empresa de segurança Kaspersky. Por isso, não clique em links recebidos via WhatsApp, mensagens SMS e redes sociais. Ao invés disso, digite o endereço eletrônico diretamente no navegador da internet.

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

You may be interested

Entenda o que muda no aumento do limite para compras no exterior e em free shops
Brasil
2 Visualizações
Brasil
2 Visualizações

Entenda o que muda no aumento do limite para compras no exterior e em free shops

Fabio Alencar - 06/12/2019

Novo valor para compras em free shops começam a valer em 1º de janeiro de 2020. Gasto permitido em território estrangeiro deve passar de US$ 500 para…

Criminosos roubam e usam ônibus como barricadas durante operação da PM na Baixada Fluminense
Brasil
2 Visualizações
Brasil
2 Visualizações

Criminosos roubam e usam ônibus como barricadas durante operação da PM na Baixada Fluminense

Fabio Alencar - 06/12/2019

Homens da Polícia Militar realizam uma operação no Complexo de Santa Teresa, em Belford Roxo, na manhã desta sexta (6). Homens da Polícia Militar realizam uma operação…

Rubens de Almeida Salles Neto é preso em Paranaíba na Operação contra tráfico internacional de drogas
Brasil
9 Visualizações
Brasil
9 Visualizações

Rubens de Almeida Salles Neto é preso em Paranaíba na Operação contra tráfico internacional de drogas

Fabio Alencar - 04/12/2019

PF prende 9 pessoas e apreende 4 aviões em operação contra tráfico internacional de drogas A Polícia Federal de São Paulo deflagrou na manhã desta quarta-feira (4)…

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Most from this category